O PRIMEIRO CD

A Dr. Cascadura, por exemplo (claro, a banda em questão!), surge como uma das primeiras desta nova safra a lançar um disco ‘profissa’ pela WR Discos - gravadora que primeiro acreditou no potencial de outros artistas baianos como, Luiz Caldas, Chiclete com Banana e Daniela Mercury durante a década de oitenta - , que agora volta sua atenção para o emergente rock baiano.

Produzido pelas mãos experientes de Nestor Madrid (responsável por alguns bons trabalhos com os baianos Camisa de Vênus, Margareth Menezes, Roberto Mendes e The Dead Bilies e os argentinos Redonditos de Ricota), este CD de estréia apresenta 10 canções próprias da Dr. Cascadura. Todas, já velhas conhecidas da galera, pinçadas do vasto repertório ao vivo da banda, amadurecido em tocadas célebres nos palcos de Salvador e de outras paradas, como, por exemplo, em Recife, no Abril Pro Rock’96.

O disco chega com a vantagem - pelo menos, sobre a maioria das bandas de Salvador - de ter o clip de uma canção na programação da MTV Brasil. Desde janeiro, o vídeo da faixa Livre de Você tem pintado com grata freqüência na seleção do programa Gás Total.

Pois é, Dr. Cascadura #1, o disco, caminha por aí mesmo. Bom repertório, gravação competente e cheia de feeling. E mais. O CD surge num período bastante promissor pra cena da terrinha (se é que se pode chamar assim a muvuca que acontece em Salvador). É que, graças aos deuses, outras boas bandas locais vêm se aventurando a lançar seus trabalhos. Bom pra eles, melhor pra nós.

NICARÁGUA

Bahia/F. Magalhães)

 

cautela p’ra mim é medo de errar

dirigindo uma pick-up sem sentir

vou mudando a poeira de lugar

vou cruzando um país que nunca vi

 

cada noite que eu dormi numa cela

estrangeiro sem dinheiro e sem valor

América Central na minha janela

não me esqueço do que vi em San Salvador

quando eu chegar à Nicarágua

mando um cartão postal pra ela

guardarei meus olhos cheios d’água

eu quero ir p’ra Havana mas não vai dar

 

cada gole de tequila é atraente

isso me dá mais coragem p’ra continuar

‘el sol del Mexico esta mui caliente’

só quero ficar sóbrio no Panamá

 

LIVRE DE VOCÊ

Pochat/F. Magalhães)

 

lá do alto vai ficar tudo bem

você me fala e eu me lembro de um trem

eu nem me lembro tudo que eu anotei

eu nem me lembro se te telefonei

uma janela e eu não posso te ver

acho que é tarde demais p’ra você

serei eu o primeiro

ouço um disco velho e tudo bem agora

a canção que rola é a que mais demora: tudo bem

seu amor compensaria minha dor

meu orgulho eu esqueci de trazer

provaria que meu peito é uma flor

ao mostrar a cor do meu prazer

não arrisco meu pescoço por ti

já me vale aquilo que aprendi



HOME PAGE


QUEM É QUEM